Vulnerabilidade Responsável



Vulnerabilidade significa, segundo o dicionário, uma característica de quem ou do que é vulnerável, ou seja, frágil, delicado e fraco. Hoje em dia tem sido comum se falar sobre vulnerabilidade desde a exposição pública sobre nossas fraquezas e até defeitos físicos, mas até que ponto a nossa vulnerabilidade deve ir?

“Uau, você viu que aquela atriz não tem a pele perfeita?” “Cara, você viu que essa pessoa também se sente sozinha, triste, com medo?” ter acesso aos defeitos e temores alheios de certa forma nos traz um sentimento de “não sou só eu” que agrega muita coragem em certos aspectos como auto aceitação, superação de limites, esperança e por aí vai. Como é bom que finalmente chegamos, em questão de redes sociais, a esse nível em que as pessoas tem exposto e apresentado de forma mais sincera aquilo que elas realmente são por detrás dos muitos efeitos e aparência de vida perfeita, isso é realmente um grande passo para nós.

Temos sido a geração dos vulneráveis, daqueles que mostram o que são, aqueles que expõem suas espinhas, defeitos e medos aos demais e que tem trazido um sentimento de pertencimento e de fato ajudado a muitos. O que me preocupa, e uso deste meio como desabafo, é que acredito que muitas vezes e das mais diversas formas fazemos o certo da maneira errada.

Uma vez uma pessoa comentou comigo “jenny, você precisa ser desvendada, não exponha tanto aquilo que se passa e aquilo que você é sem antes dar as pessoas ao seu redor o benefício da dúvida de descobrirem isso de você com esforço e dedicação em te conhecer”. Quando a pessoa me disse isso na hora não fez muito sentido, mas hoje finalmente me deu um daqueles estalos que você pensa CARACA FAZ TOTAL SENTIDO.

As vezes por termos esse anseio de sermos muito vulneráveis, de mostrar logo nossas fraquezas e tudo aquilo que se passa dentro de nós na premissa de ajudar os outros, cultivamos vínculos com as pessoas por identificação e não por caminhar junto, aprender junto, entende?

Acho incrível a capacidade que temos de nos identificar uns com os outros em nossas fraquezas e é incrível saber que não estamos sozinhos e que existem pessoas que se identificam e passam pelo mesmo que nós, mas dê uma olhada geral em sua vida, veja o quanto de tempo você gasta sendo vulnerável com os outros em suas redes sociais e o quanto você gasta compartilhando em secreto com aqueles ao seu redor que não apenas dizem “te entendo” mas te impulsionam a prosseguir, superar e até te mostram fraquezas suas que nem você percebe.

A vulnerabilidade não pode ser um fim em si mesma. É tempo de já ser claro para nós que ninguém é perfeito, que todos erramos e precisamos ser ajudados. Que nós nos dediquemos e tenhamos bons parceiros de caminhada para sermos totalmente vulneráveis presencialmente, para ensinarmos e sermos ensinados e para declarar FORÇA sob toda fraqueza.Que aquilo que nos faz vulneráveis seja passageiro a ponto de superarmos e ajudarmos, de verdade, aqueles que passam por aquilo que já superamos e sermos ajudados naquilo que outros superaram e nós não.

Valorize seus parceiros de caminhada, aqueles que estão contigo, conhecem teus defeitos e te amam e se importam com você. Sua vida não é um perfil de rede social em que você coloca “sou Jennyfer, tenho dificuldade naquilo e sou boa naquilo e blablabla, se aproxime se se identificar”. Seja um tesouro escondido o suficiente para ser descoberto por aqueles que se interessarem e vulnerável o suficiente com aqueles que de fato querem e estão ao seu lado. 

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas